Portuguese English

Prémio Nobel da Paz

CoubertinPara o Comité Olímpico Internacional

O vencedor do Prémio Nobel da Paz de 2013 será anunciado em outubro. Existem 259 propostas. É tempo do Comité Olímpico Internacional (COI), que nos últimos quase cento e vinte anos contribuiu decididamente para a promoção da paz mundial, ser agraciado e, assim, fazer-se justiça à memória de Pierre de Coubertin.

Coubertin, primeiro como secretário e, a partir de 1896, como Presidente, com breves interrupções, foi o responsável direto pelo COI até ao ano de 1925, ano em que saiu, doente, falido e mal reconhecido pelo trabalho realizado. Prova disso são: a entrevista de sua mulher que disse não o perdoar por ter dado cabo do património da família ao serviço do COI; doente porque, em último recurso, teve de aceitar os favores do regime nazi a fim de cuidar do lastimoso estado de saúde em que se encontrava; e, finalmente, quanto à falta de reconhecimento, as duas tentativas falhadas no sentido de lhe ser atribuído o Prémio Nobel da Paz.

Considerações Sobre Desporto de Elite em Portugal

Porque não São as Modalidades Onde Mais se Gasta que Obtêm os Melhores Resultado?

Pedro Guedes de Carvalho

Há cerca de 9 meses foi entregue ao Secretário de Estado do Desporto e Juventude de Portugal – Dr. Alexandre Mestre – um documento preliminar ainda provisório e sujeito a validação posterior que relatava sumariamente o trabalho por nós realizado no âmbito de um Projeto internacional com designação SPLISS (Sports Policy factors Leading to International Sporting Success). O documento abordava os pilares 1 de Financiamento e 2 de Organização do Desporto de elite em Portugal, cuja informação nacional foi tratada pela equipa internacional que coordena o projeto e produziu um primeiro quadro de conclusões que foram entretanto validadas pelas instituições nacionais encarregadas da execução da política desportiva, ou seja, o IPDJ.

Ler mais

Antropologia, Património e Olimpismo

Olhar a Realidade no Tempo perante os Agentes

Pedro Manuel-Cardoso

O ensaio interroga a antropologia a partir da proposta que a Prof.ª Doutora Paula Godinho designou por “Para uma Antropologia Crítica: realidades, processos e agentes” (Módulo 2 do Seminário “Problemáticas da Antropologia” – UNL/FCSH, 2011). Ao não negligenciar a historicidade dos contactos e das trocas entre as várias escalas do espaço e do tempo pudemos perceber como a antropologia contemporânea se afastou criticamente do pressuposto de que existiam sociedades primitivas ideais, concebidas como totalidades homogéneas e coerentes, sem contradição e descontinuidade, narradas como se não pertencessem ao presente ou estivessem fora do tempo, isoladas da interpenetração global, vivendo em simbiose com o seu ambiente/contexto, ou apenas determinadas por forças instintivas de adaptação, ou por escolhas racionais sem a interferência do fator político.

Aniversário do Comité Olímpico de Portugal

30 de Abril de 1912 - 30 de Abril de 2013

Depois de 33 anos em que a verdade histórica foi derrotada, o conhecimento desprezado e as pessoas desrespeitadas é tempo do Presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP) voltar a colocar a história da instituição no devido lugar.

Sendo José Manuel Constantino, o atual Presidente do COP,  Licenciado em Educação Física, tem obrigação de esclarecer a questão e ultrapassar mais de trinta anos de equívocos que a própria tutela governamental recentemente afastada fez questão de, erradamente e sem qualquer necessidade ( amenos que fosse por provocação), colocar no Diploma do Tribunal Arbitral do Desporto que  acabou por ser chumbado pelo Tribunal Constitucional.

A teimosia de insistirem na comemoração do centenário do COP numa data errada resultou na ausência do Sr. Presidente na República da cerimónia realizada em 2009. A cerimónia de comemoração dos pretensos cem anos de existência do COP acabou por decorrer sem a dignidade que a instituição merecia ao ponto de Jacques Rogge presidente do Comité Olímpico Internacional ter abandonado a cerimónia enquanto o Presidente do COP discursava.

O Comité Olímpico Português, como Orlando Azinhais e outros tiveram a oportunidade de esclarecer, foi fundado em:

30 de Abril de 1912

Nota: Os documentos que apresentamos nos trabalhos que se seguem foram obtidos no Centro de Estudos Olímpicos do Comité Olímpico Internacional.

Olimpicamente Profissional

Jaques Rogge

Profissionalismo no Dirigismo Olímpico

Jacques Rogge o atual presidente do Comité Olímpico Internacional, que terminará o mandato no próximo mês de setembro ao cabo de 12 anos (tempo limite) de liderança da instituição, numa entrevista ao jornal alemão o “Süddeutsche Zeitung” defendeu que o futuro líder da instituição deverá ser pago enquanto profissional. E espera resolver a questão antes do término do seu mandato.

O Que é o Museu Nacional do Desporto?

Pedro Manuel Cardoso (*)

Um Museu do Desporto é definido como um espaço de entretenimento / para experimentar e conhecer o Desporto / através de uma ação interativa, lúdica e educativa / com o público e com a sociedade.

Um Museu para conhecer e compreender o Desporto, onde a Memória se adquire pela prática e pela interatividade.

Olimpismo e Organização do Futuro

Persuasão

Quando Apolo se apaixonou por Cassandra, filha do Rei Priam de Troia, deu-lhe o dom de predizer o futuro, com a condição de ela se lhe entregar. No entanto, Cassandra, depois de receber o dom da previsão, não cumpriu a parte dela do acordo, enganando Apolo. Este, para se vingar, porque não lhe podia tirar aquilo que já lhe tinha dado, isto é, o poder da previsão, em alternativa, suprimiu-lhe o dom da persuasão.

Saldanha Sanches Expresso

Serpa, Homero (1927-2007)

Homero Serpa

Manuel Sérgio, um seu Amigo (*)

Desde que me conheço o conhecia. Era o Homero. Pertencíamos ambos a uma geração que, nos bairros lisboetas de Belém e da Ajuda, proclamava o seu belenensismo, ao mesmo tempo que a alma do Tejo inundava de esperança as nossas próprias almas. Ante os meus olhos passa agora essa extinta freguesia de Belém, onde o Belenenses nasceu, onde no Homero e em mim próprio floriram os primeiros sonhos da nossa juventude e onde o Homero nunca deixou de estar, por mais longe que se encontrasse, empurrado pela sua profissão de jornalista.

.
“Belém é a minha Pátria”, repetia ele, aquecendo-se ao calor da emoção e da saudade.

Os Presidentes do Comité Olímpico de Portugal

Páginas

Subscreva Fórum Olímpico de Portugal RSS

Menu principal

by Dr. Radut